quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Plenária da AE-CE, 19/8, sábado, 15h

Plenária da Articulação de Esquerda - Ceará
Cenários, resistência e contraofensiva da esquerda
http://aeceara.blogspot.com.br/2017/08/carta-circular-cenarios-resistencia-e.html


Militantes, simpatizantes e convidados/as
Pauta: Informes da DNAE, Vinda do Lula do CE,
Encontros Setoriais do PT, Congresso da AE

Data: 19 de agosto, sábado, 15h
Local: SindPD - auditório
Endereço: Av. Tristão Gonçalves, 1250
(em frente ao Senac)

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Setoriais do PT: Orientações a militantes da AE

A direção nacional da AE, reunida nos dias 5 e 6 de agosto de 2017, aprovou as seguintes orientações para a militância da tendência, referentes aos encontros setoriais do PT.

O Diretório Nacional do PT convocou os encontros setoriais e aprovou seu regulamento, disponível no link a seguir: http://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2017/07/regulamento-encontros-setoriais-2017-2017jul18-divulgar.pdf

Recomendamos leitura atenta.

De acordo com as resoluções do Partido, os setoriais são instâncias partidárias que organizam os filiados e filiadas junto aos diferentes movimentos sociais, com três finalidades básicas gerais: a) motivar a organização partidária de filiados e de filiadas petistas conforme os movimentos sociais dos quais participam; b) participar, obrigatoriamente, da elaboração de políticas públicas no âmbito partidário como forma de subsidiar programaticamente a ação institucional do Partido; e c) em cada setor, subsidiar a representação institucional do PT nas suas relações com os movimentos sociais, com as bancadas parlamentares e com os governos onde há quadros do Partido.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Carta circular: Cenários, resistência e contraofensiva da esquerda


A direção nacional da tendência petista Articulação de Esquerda - AE, reunida nos dias 5 e 6 de agosto de 2017, aprovou as seguintes orientações para a sua militância, referentes ao período que se estende até o Congresso Nacional da AE, que ocorrerá nos dias 24 a 26/11/2017.

1. A classe trabalhadora brasileira está num momento de defensiva estratégica. Noutras palavras, nossa prioridade é defender os direitos sociais e políticas públicas, as liberdades democráticas e a soberania nacional, que estão sendo atacadas pela coalizão golpista.

2. O tempo que vai durar este momento de defensiva estratégia e os caminhos pelos quais ele será superado dependem das lutas politicas e sociais que estão em curso, das escolhas estratégicas das diferentes forças organizadas que disputam os rumos de nossa sociedade, bem como dos impactos que a situação internacional tenha sobre o Brasil.

3. A coalizão golpista tem unidade estratégica em torno de três objetivos: reduzir o salário direto e indireto pago para a classe trabalhadora; reduzir as liberdades democráticas; alinhar o Brasil com a política externa dos EUA e seus aliados.

4. Desde o golpe até hoje a coalizão vem conseguindo implementar seu programa. Exemplos disto são a contrarreforma trabalhista e da previdência, a PEC que estabelece um teto para as políticas públicas e sociais, a mudança da lei da partilha e da venda de terras aos estrangeiros, entre outras medidas reacionárias.

sábado, 5 de agosto de 2017

Paridade, democracia e unidade na ação


Nota da Direção Nacional da tendência petista Articulação de Esquerda sobre a composição da Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores

A situação política, no Brasil e no mundo, exige de nosso Partido clareza política e unidade na ação. Mas, além das divergências estratégicas e táticas, há entre nós diferentes maneiras de construir esta unidade. Os procedimentos que estão sendo adotados na composição da CEN do PT prejudicam a unidade. Neste documento explicamos porque defendemos que companheiras petistas assumam metade dos cargos na CEN.

No dia 26 de julho, a Comissão Executiva Nacional fez sua primeira reunião, em Brasília.

Na pauta informações sobre a recomposição da CEN, para cumprir a paridade prevista no Estatuto do partido; e a programação e metodologia do planejamento da instância para o biênio 2017/2018, que aconteceria nos dois dias seguintes, 27 e 28 de julho.

Sobre o primeiro ponto, a paridade, confrontaram-se duas posições.

A primeira previa paridade apenas para os 11 cargos das secretarias, sem incluir na paridade as cinco vice-presidências (todas ocupadas por homens).

A outra, a qual nós da Articulação de Esquerda defendemos, previa a paridade nos 16 cargos (5 vices e 11 secretarias).

terça-feira, 18 de julho de 2017

Às ruas em 20 de julho


Mobilização em Defesa do Lula, da Democracia e por Diretas Já!

Com as bandeiras da defesa da democracia e de Lula, por Fora Temer e Diretas Já e contra a implementação da Reforma Trabalhista, organizações dos movimentos sindical, sociais e partidos vão às ruas de todo o país na próxima quinta-feira (20/7). Em Fortaleza, ato ocorrerá na Praça Clóvis Beviláqua (também conhecida como Praça da Bandeira), no Centro, a partir das 16 horas. População retorna às ruas para demonstrar apoio ao ex-presidente e se manifestar contra as reformas que o governo golpista tem feito para tirar direitos dos trabalhadores e trabalhadoras.

Ato político, ocorrido na semana passada em Fortaleza, marcou o início de uma nova fase da luta de resistência contra o golpe: http://www.cutceara.org.br/destaques/2708/lula-e-classe-trabalhadora-sao-defendidos-em-ato-na-sede-da-cut-ce

Também estão sendo organizados atos em várias cidades do país. Conforme destaca Vagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), não se trata de defender apenas a figura ou o legado do ex-presidente mas, também o funcionamento democrático e igualitário da justiça brasileira e os direitos sociais, previdenciário e trabalhistas. "Para a Casa Grande, Lula representa o perigo de um governo popular e trabalhista voltar ao poder e reestabelecer a democracia, a igualdade, a distribuição de renda, a justiça e a inclusão social”, apontou.

Saiba os atos programados por todo país: http://www.pt.org.br/agenda/

domingo, 2 de julho de 2017

4º Congresso Nacional da AE

Articulação de Esquerda fará Congresso em novembro de 2017

O Partido dos Trabalhadores concluiu seu 6º Congresso, aparentando alto grau de unidade tática, mas ao mesmo tempo explicitando muitas incertezas e indefinições organizativas, estratégicas e programáticas.

Em uma situação normal, teríamos tempo e condições adequadas para superar tais incertezas e indefinições. Mas não vivemos uma situação normal, nem no país, nem na região, nem no mundo.

Por isto, a militância petista precisa combinar a luta contra o governo golpista, pelo Fora Temer e em defesa dos direitos, por eleições diretas já e pela candidatura Lula, com a superação das lacunas existentes em nossas formulações partidárias.

Para contribuir com isto, a tendência petista Articulação de Esquerda realizará seu 4º Congresso Nacional, nos dias 24 a 26 de novembro de 2017, tendo como pauta única a estratégia de luta pelo socialismo no Brasil.

O texto base do Congresso será aprovado pela direção nacional da Articulação de Esquerda nos dias 5 e 6 de agosto de 2017 e buscará:

Fazer um balanço das realizações e dos debates acerca do socialismo e da estratégia, no PT, na esquerda latino-americana e na esquerda mundial.

Fazer uma análise das características do capitalismo no século XXI e de suas decorrências para a luta pelo socialismo no século XXI.

Fazer uma análise da situação atual do capitalismo no Brasil e do que isto implica na luta pelo socialismo em nosso país, tanto em termos de estratégia de poder quanto em termos do programa da transição socialista;

Estabelecer os vínculos entre a tática adotada pelo Partido e a estratégia que defendemos, apontando mudanças que consideremos necessárias naquela tática;

Estabelecer os vínculos entre a estratégia que defendemos e as mudanças que se fazem necessárias na organização do Partido.

Estabelecer qual o papel da tendência petista Articulação de Esquerda, nesta nova etapa da vida partidária.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Jornada de Formação Política NE 2017


Jornada regional nordeste de formação política da AE será realizada em julho

No sentido de ampliar e potencializar a formação de quadros, além das jornadas nacionais de formação política realizada anualmente, a tendência petista Articulação de Esquerda passou a realizar jornadas regionais de formação.

Entre os meses de julho e outubro de 2017 realizaremos jornadas nas cinco regiões do país, que serão divulgadas pelo Pagina 13 na medida em que forem definidas a data, a programação e o local de cada uma.

A jornada regional nordeste será a primeira deste ano e será realizada no Rio Grande do Norte, de 5 a 8 de julho, e terá como tema “A luta pelo socialismo no Brasil”.

A jornada destina-se ao público filiado e simpatizante do PT em geral.

A jornada ocorrerá no Centro Marista de Formação (Rua Raimundo Barros Cavalcante, 522, Centro, Extremoz/RN – próximo a Natal).

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Greve Geral em 30 de junho


DIA 30 DE JUNHO VAMOS PARAR O BRASIL

A Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo reunidas no dia 23 de junho em São Paulo reafirmam seu apoio às greves e mobilizações convocadas para o dia 30 de junho contra a reforma trabalhista e em defesa dos direitos e da aposentadoria.

Repudiamos a reforma trabalhista que está tramitando no Senado Federal (PLC38/2017) porque ela rasga a CLT, amplia a precarização do trabalho, condena o/a trabalhador/a viver de bico, fragiliza a sua organização, a negociação coletiva, além de dificultar o acesso à Justiça do Trabalho.

A reprovação do relatório da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, no dia 20 de junho, foi uma derrota do governo ilegítimo e demonstrou que temos condições de barrá-la.

Este foi o resultado da pressão que estamos fazendo desde o início do ano nas bases eleitorais dos parlamentares e das ações de massa que promovemos que se intensificaram em março (nos dias 08, 15 e 3) e que culminaram com a histórica greve do dia 28 de abril e com a expressiva ocupação de Brasília, realizada no dia 24 de maio.

A continuidade do governo Temer ou a sua substituição por outro ilegítimo, indicado indiretamente pelo Congresso significam a continuidade da agenda de retrocessos. Por isso exigimos a retomada da democracia com a saída imediata de Temer e com a realização de eleições diretas.

As frentes reforçam a prioridade à agenda de lutas e orientam as seguintes ações para parar o Brasil no dia 30:

- Realizar reuniões e assembleias preparatórias conjuntas nos municípios para organizar as ações;

- Paralisar a circulação em locais de impacto e visibilidade desde as primeiras horas do dia;

- Apoiar os trabalhadores/as na paralisação dos seus locais de trabalho.

- Realizar no período da tarde atos unitários e massivos em todo o país.

Contra a Reforma Trabalhista! Em defesa da aposentadoria e dos direitos!

Fora Temer!

Diretas Já!

Frente Brasil Popular
Frente Povo Sem Medo

segunda-feira, 19 de junho de 2017

AE-CE debate conjuntura e planos


A Articulação de Esquerda, tendência petista, convida sua militância e simpatizantes a participarem do Ato político de abertura de seu Planejamento estadual, com a Mesa-redonda: Crise Política e Saídas à Esquerda. O evento aberto a convidados/as ocorrerá na próxima sexta-feira, 23 de junho, às 18h, no auditório do SindPD (Av. Tristão Gonçalves, 1250 - Centro). Contamos com a sua presença!

#ForaTemer
#DiretasJá

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Revista Esquerda Petista nº 7

Saiu a sétima edição da revista Esquerda Petista. Leia aqui


Editorial

O Partido precisa mudar

Esta edição da revista Esquerda Petista está circulando, em versão digital, na véspera do 6º Congresso Nacional do PT, convocado para os dias 1 a 3 de junho de 2017, em Brasília (Distrito Federal).

(...)

É fato que a maior parte da esquerda, dentro e fora do PT, viu-se obrigada a concentrar-se sua atenção em questões táticas de grande importância, inclusive estratégica, tais como as contrarreformas da previdência e trabalhista, a luta pelo Fora Temer e pelas Diretas Já, a defesa do Partido e de Lula contra a perseguição judicial etc.

Mas a crise causada pelas denúncias contra Aécio e Temer evidenciou, uma vez mais, a conexão entre as questões táticas e alguns dilemas estratégicos. Dentre estes dilemas, citamos um que nos parece fundamental: a crise que o país vive pode ser solucionada através de uma negociação entre as partes em conflito? Ou a crise que o país vive exige uma derrota profunda de uma das partes em conflito?